14 de maio de 2014

“Axler esforçava-se para dizer a verdade e desse modo revelar a origem de seu problema – e recuperar seus poderes –, mas, até onde conseguia se lembrar, nenhuma causa para aquele ‘pesadelo universal’ vinha à tona em nada do que ele dizia àquele psiquiatra simpático e atento. Isso tornava o pesadelo ainda pior. No entanto, ele conversava com o médico assim mesmo, todas as vezes que ia à sessão. E por que não? Quando o sofrimento atinge um certo patamar, a gente tenta qualquer coisa para explicar o que está acontecendo, mesmo sabendo que nada explica nada e que todas as explicações são igualmente fúteis.”



(A humilhação, Philip Roth)