16 de julho de 2012

(Possível coreografia verbal para Köln Concert, de Keith Jarrett)

Eles desejam coisas que não existem. Eles não conhecem a paixão, nem tu. A tudo isso eu chamo de tontura, não prazer. Evita a vertigem. Ressaca, desbasta, o limite é a nudez do osso. Além dele, se avançares, há somente poeira. Mas cuidado, exigem-se os dentes fortes que Nanã perdeu. Descobre, desvenda. Há sempre mais por trás. Que não te baste nunca uma aparência do real. Como te atreves a supor que carregas O Facho de Luz? Sei bem quanto brilha, mas te digo que serias incapaz de vencer as Iansãs do vento.

(Dodecaedro, Caio Fernando Abreu)