14 de maio de 2012


“Em meus ressentimentos, muitas vezes busquei motivos para condená-los, a melhor forma de condenar a mim mesmo. Pois também sou como eles, em muitos aspectos. Durante muito tempo pensei que havia escapado, mas com o passar do tempo vejo que não sou melhor, que sou até um pouco pior, porque via com mais clareza que eles e ainda assim continuava impotente para alterar minha vida. Quando olho para trás, parece-me que jamais fiz nada por vontade própria, mas sempre por pressão de outros. As pessoas muitas vezes me acham um cara aventureiro; nada pode estar mais longe da verdade. Minhas aventuras sempre foram adventícias, sempre empurradas para cima de mim, sempre mais suportadas do que empreendidas”

(Trópico de Capricórnio, Henry Miller)