2 de setembro de 2011

:

"- Isso é maravilhoso - retrucou ele, muito ternamente, estonteado. Nosso primeiro duelo chegara ao fim.
Houve uma grande insanidade em tudo isso, mais nas explicações dele do que em suas ações iniciais. Isso foi realmente uma cena de ciúmes ou a primeira expressão de sua instabilidade em relacionamentos humanos, sua irresponsabilidade? Pela primeira vez estou diante de uma natureza mais complicada que a minha. Talvez nós nos tenhamos tornado mais interessantes um para o outro à custa da confiança. Ele está feliz por ter me visto como um instrumento, emitindo todo o seu âmbito de sons. Em lugar daquela abertura cega para ele, convoco minha inteligência".

(Henry & June, Anaïs Nin)