10 de maio de 2008

Exatamente 2h37

O que eu penso das coisas? de todas as coisas? do mundo? do meu umbigo?

Eu não penso em porra nenhuma.

Meu inferno é sentir essas coisas todas, querer colocá-las em palavras e depois em frases e então em parágrafos e depois em páginas para apagar tudo e começar outra vez.

Que coisas? o que gosto? odeio? sofro? desejo? que coisas? coisas?

Meu inferno é existir tantas coisas a serem escritas.

p.s.: a vodca subiu, o som aumentou e, meu amigo, nessas horas o melhor é não discutir.