1 de abril de 2008

Transparência da Carne 2

Saiu a seguinte matéria, escrita por Gerson Paulo de Andrade, no site Curitiba Interativa:

Transparência da Carne: Balas metafóricas nada perdidas
Gerson Paulo de Andrade 26.03.2008

Um casal de atores talentosos e uma pesquisa consistente, basicamente o que se vê no espetáculo Transparência da Carne da Companhia República Cênica, de Campinas. Com texto de João Nunes e Maurício de Almeida, a própria companhia assina a direção, que poderia obter melhores resultados a partir da proposta de pesquisa desenvolvida e potencial dos atuantes.

Poético, o texto é mais um elemento a somar, na encenação que se vale de diversas linguagens para tratar da violência, de vidas perdidas a esmo, independentemente da época, conforme a citação de fatos históricos recentes, das guerras, do caos e violência urbana. Trata da passagem da vida entre a morte, do desenlace de almas num misto de realidade e fantasia. Das vítimas de balas perdidas que indistintamente atingem adultos e crianças. Dos crimes injustificáveis e das mais variadas manchetes de jornal que formam o caleidoscópio da barbárie humana.

O ator e atriz usam um figurino similar que dá mobilidade para executarem diversas ações. Amparados por inúmeros objetos exploram o espaço cênico, com atenção ao trabalho corporal. Há projeção de um vídeo com imagens bem construídas e na forma simples de sombra. Há coerência na sua classificação como lírico e dramático, pois é um espetáculo tocante, que ao longo de seu percurso sensibiliza e faz refletir. O trabalho é similar a tantos outros na linha de pesquisa e no tema abordado, mas, percebe-se seriedade e profissionalismo que demonstra que a República Cênica poderá atingir alvos certeiros no seu percurso de trabalhos relevantes.