16 de outubro de 2007

Na sexta

E na Satyrianas tudo ocorreu otimamente bem. Melhor impossível. César Ribeiro, Paulo Campos e Rafael Menta mandaram muito bem, mesmo com a longa jornada que estavam fazendo no evento. E, apesar das alterações, Duelo ficou bem legal. Quer dizer, apensar de alterações coisa nenhuma: as alterações revigoraram o texto, deram muito mais força do que eu poderia imaginar.

Depois da cena teve cerveja com os três. Eu e Giselle chegamos meio que para dizer tchau e agradecer o empenho (afinal, vale dizer: eles tiveram apenas três ensaios para colocar o texto no palco), mas acabamos na mesa, um copo para cada um. Uma pena não termos ficado mais. No entanto, aí está – ou melhor, lá esteve. Eu e João, mais que nunca, estamos preparando outras tantas coisas por aí. Então, se não viu o Duelo, perdeu. Mas logo logo vem mais por aí.